sábado, 25 de abril de 2009

Namorar a vida!

Procura-se um Amante

Muitas pessoas têm um amante, e outras gostariam de ter um. Há também as que não têm, e as que tinham e perderam. Geralmente são estas últimas que vêem ao meu consultório para me contar que estão tristes ou que apresentam sintomas típicos de insónia, apatia, pessimismo, crises de choro, ou as mais diversas dores.
Elas contam-me que as suas vidas correm de forma monótona e sem perspectivas, que trabalham apenas para sobreviver e que não sabem como ocupar o tempo livre. Enfim, são várias as maneiras que elas encontram para dizer que estão simplesmente a perder a esperança. Antes de me contarem tudo isto, já tinham estado noutros consultórios, onde receberam as condolências de um diagnóstico firme: "Depressão"... além da inevitável receita do anti-depressivo do momento. Assim, depois de as ouvir atentamente, eu digo-lhes que elas não precisam de nenhum anti-depressivo. Digo-lhes que o que elas precisam é de um Amante!

É impressionante ver a expressão dos olhos delas ao receberem o meu conselho. Há as que pensam: "Como é possível que um profissional se atreva a sugerir uma coisa destas ?!".
Há também as que, chocadas e escandalizadas, despedem-se e não voltam nunca mais. Às que decidem ficar e não fogem horrorizadas, eu explico-lhes o seguinte:
Amante é "aquilo que nos apaixona". É o que toma conta do nosso pensamento antes de adormecermos, e é também aquilo que, às vezes, nos impede de dormir. O nosso Amante é o que nos mantém distraídos em relação ao que acontece à nossa volta. É o que nos mostra o sentido e a motivação da vida.

Às vezes encontramos o nosso amante no nosso parceiro, outras vezes, em alguém que não é nosso parceiro, mas que nos desperta as maiores paixões e sensações incríveis. Também podemos encontrá-lo na pesquisa científica ou na literatura, na música, na política, no desporto, no trabalho, na necessidade de nos transcendermos espiritualmente, numa boa refeição, no estudo, ou no prazer obsessivo do nosso passatempo preferido...

Enfim, Amante é "alguém" ou "algo" que nos faz "namorar" a vida e nos afasta do triste destino de "ir vivendo". E o que é "ir vivendo"?
"Ir vivendo" é ter medo de viver.


É vigiar a forma como os outros vivem, é o deixarmo-nos dominar pela pressão, andar por consultórios médicos, tomar remédios multicoloridos, afastarmo-nos do que é gratificante, observar decepcionados cada ruga nova que o espelho nos mostra, é aborrecermo-nos com o calor ou com o frio, com a humidade, com o sol ou com a chuva.

"Ir vivendo" é adiar a possibilidade de viver o hoje, fingindo contentarmo-nos com a incerta e frágil ilusão de que talvez possamos realizar algo amanhã.
Por favor, não se contentem com "ir vivendo". Procurem um amante, sejam também um amante e um protagonista da vossa vida...

Acreditem que o trágico não é morrer, porque afinal a morte tem boa memória e nunca se esqueceu de ninguém. O trágico é desistir de viver, por isso, e sem mais delongas, procurem um amante.

A psicologia, após estudar muito sobre o tema, descobriu algo transcendental:
"Para se estar satisfeito, activo, e sentirem-se jovens e felizes, é preciso namorar a vida".

Texto: Dr. Jorge Bucay
Livro: "Hay que buscarse un Amante"

11 comentários:

lilipat2008 disse...

Pelos vistos és a pessoa certa pra dizer isto...eu sempre achei que a grande maioria das pessoas confunde uma depressão com uma fase menos boa e, vai dái, toca a tomar tudo o que é comprimidos...uma verdadeira estupidez...estarei errada?

bjitos e bom fim de semana

Smootha disse...

Adorei. Mesmo...

Mas vinha apenas para te avisar de um pequeno desafio la na Lua. É a tua cara...

Beijocas

Larose disse...

Bem vinda lili


Já lá vou ver!

Fada disse...

:) Gostei imenso deste texto, e assino por baixo!!!

Também já sofri depressões, já passei pela sensação de "sobreviver" e não "viver", por isso compreendo que nem todos consigam ou tenham forças para encontrar o "amante" necessário...

Sei que na 1ª vez em que só me apetecia morrer, foi a vinda do meu 1º sobrinho que me agarrou e me deu ânimo... :)

A partir daí, fiz depressões, mas tive sempre mais motivos para viver, por muito que me doesse... :)

E ter um humor algo "negro" também ajuda, porque conseguia ver piada em todas as situações, por mais dificeis que fossem, para grande espanto de qem me rodeava... lol

Beijitos :)

Rita disse...

Que máximo!!!

Paola disse...

Pois, amiga, namorar é sempre bom. E não me venham com tretas e tal, que não é be, assim... Namorar é bom. às vezes falta o namoraso, pronto, paciência. Mas isso é outra coisa. Namorar com a vida é mesmo admirável. Não há coisa melhor. Sabes, eu namoro tanto, tanto que já nem sei. Amo-a perdidamente... e se não nos damos melhor é por causa da estúpida da morte. Invejosa é o que essa tipa é.

Beijinhos

Larose disse...

ehehehe ....pois ....mas a morte é o que dá valor à vida !

Cão(somente) disse...

E a vida é o melhor "amante" que podemos encontrar.

Bé Dias disse...

Adorei... Mesmo!


***

Bé Dias disse...

Ulha... agora é que vi que escrevi o mesmo que a smoo... :P

Larose disse...

andam as duas em sintonia!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...